31/10/2011

Natureza, música e gastronomia ditam o ritmo de Honolulu, nos Estados Unidos

Honolulu nunca foi tão quente, e não é por causa do verão. A cidade está em alta desde que o presidente Obama anunciou, há dois anos em Cingapura, que seu ‘Estado natal do Havaí’ receberia o Fórum de Cooperação Econômica da Ásia-Pacífico de 2011. Em novembro, a cúpula de 21 países pode trazer até dez mil pessoas a Waikiki, o renomado destino em Honolulu, na costa sul de Oahu. Enquanto a cidade se prepara para os holofotes da mídia, ela também transborda de prazeres de verão. Mangas e doces frutas de verão adicionam cores às barracas nos mercados. Jasmins, gardênias e angélicas adornam as bancas em Chinatown, e música havaiana toma as praias, vinda dos lounges à beira-mar banhados pela luz do pôr-do-sol.

Vista da praia de Waikiki no Kapiolani Park, um ímã de recreação de 120 hectares aos pés da Diamond Head, em Honolulu

36 horas em Honolulu

Sexta-feira
16h - Um spa sem paredes
Não há nada melhor do que um momento de verão no Kapiolani Park, um ímã de recreação de 120 hectares aos pés da Diamond Head (cabeça de diamante), o topo de vulcão e marco que os havaianos chamam de Leahi. Exercite-se com os corredores e jogadores de rúgbi enquanto viuvinhas-brancas voam acima das árvores. Complete isso nadando ao entardecer, do outro lado da rua, na praia em frente ao New Otani Kaimana Beach Hotel.

18h - Melodias havaianas
Pés cheios de areia não são uma anomalia no Duke’s Restaurant and Barefoot Bar (2335 Kalakaua Avenue; 808-922-2268; dukeswaikiki.com), onde os astros da música havaiana tocam ao anoitecer. Maunalua, um trio que toca música havaiana contemporânea, geralmente se apresenta às sextas, e o guitarrista-vocalista Henry Kapono, o autoproclamado ‘havaiano selvagem’, é a atração do rock havaiano aos domingos. O lugar ao ar livre tem um ar de surfe antigo e tributos de parede a parede à lenda da natação olímpica, Duke Kahanamoku. O estacionamento é caro, mas não há cobrança de couvert.

19h30 - Agradando ao paladar
Philippe Padovani, um dos 12 fundadores originais da Cozinha Regional do Havaí, abriu o Padovani’s Grill no início deste ano, a tempo do 20º aniversário do movimento culinário. Os fãs o adoram por seus chocolates de grife, molhos magistrais, sua famosa sopa de moluscos (vôngole, milho verde da costa norte de Oahu e um pouco de algas da ilha) e o risoto (óleo de trufa e vários tipos de cogumelos). Há toques especiais por toda parte, incluindo molhos feitos sob encomenda para peixes e frutos do mar e pratos com carne Black Angus. O chef respeita igualmente os vegetarianos, com um excelente ravióli de queijo de leite de cabra e fricassé de cogumelos. Para sobremesa, experimente a torta Tatin e o crème brûlée de uísque. Um jantar com três pratos, sem bebidas, custa entre US$ 55 e US$ 65.

21h30 - De tatuagens a dragões
A cena de jazz independente está prosperando no alto de uma escadaria íngreme em Chinatown, em um antigo estúdio de tatuagem do tamanho de uma sala de estar aconchegante. Alguns dos melhores músicos da cidade se reúnem no Dragon Upstairs (1038 Nuuanu Avenue; 808-526-1411; thedragonupstairs.com) para improvisar e entreter em grande estilo boêmio. Na maioria das noites é uma espetacular pianista japonesa/local de jazz contemporâneo, Satomi Yarimizo, com seu baterista e baixista. Como grande parte do público é composto de músicos, há uma abundância de apresentações-surpresa em uma sala que ama seriamente música.
Alguns dos melhores músicos de Honolulu se reúnem no Dragon Upstairs para improvisar e entreter em grande estilo boêmio


Sábado
9h - Festival de Alimentos em Diamond Head
Sim, é possível fazer o café da manhã nas encostas de Diamond Head, na feira do produtor mais agitada de Honolulu. Uma festa para os gourmets que acordam cedo, a feira dos produtores aos sábados na Kapiolani Community College (4303 Diamond Head Road; 808-848-2074; hfbf.org) é a razão de ser de muitos amantes de alimentos locais. Pegue sua sacola e vá cedo para encontrar estacionamento: vale a pena. Tudo lá é local. O arco-íris de produtos é um Havaí comestível em cores, sejam caquis, bebidas caseiras de gengibre e goiaba, mangas, queijo de leite de cabra, mel local, bolinhos e pão de banana.

11h - Nada a não ser arte
Com a fusão neste ano do Museu Contemporâneo com a Academia de Artes de Honolulu (900 South Beretania Street; 808-532-8700; honoluluacademy.org), mais um novo diretor, Stephan Jost, não se fala em outra coisa a não ser arte. Uma visita de duas horas e meia, por US$ 25, ao Shangri La, o museu islâmico fundado pelo espólio de Doris Duke, começa e termina na Academia, que realiza os passeios Shangri La. Uma viagem de ônibus de 20 minutos leva à mansão à beira-mar dos anos 1930, transformada em museu, com seus azulejos Iznik, tecidos da Ásia Central e uma sala de oração do século 13. Quando retornar à Academia, dedique tempo para a coleção havaiana na Galeria John Dominis e Patches Damon Holt, com obras de Jules Tavernier, Lionel Walden e outros mestres havaianos.

13h30 - Refeição com arte
O Pavilion Cafe (900 South Beretania Street; 808-532-8734; honoluluacademy.org/394-pavilion_cafe), o restaurante da Academia de Artes, marca muitos pontos por seu cardápio mediterrâneo e sua localização ao ar livre, ao lado de uma cascata e de esculturas de Jun Kaneko. O cardápio, apesar de não refinado, é ideal: salada de feijão branco com rúcula e chicória seca (US$ 12,95), sanduíches fartos (queijo feta, tapénade, tomate; filé de salmão picado), a massa do dia e sobremesas como musse de chocolate e frutas frescas (US$ 5,95 cada). Na butique da Academia a poucos passos de distância, livros, cartões, tecidos e joias artesanais a tornam uma das melhores atrações de compras em Honolulu.

17h30 - Serenata ao pôr-do-sol
Halekulani’s House Without a Key (2199 Kalia Road; 808-923-2311; halekulani.com) é um ímã ao pôr-do-sol. Uma acácia centenária é graciosamente iluminada pelo sol de fim de tarde, os mai tais (US$ 12) são heróicos, e as vistas do oceano e de Diamond Head farão você esquecer os edifícios vizinhos. Quando a dançarina de hula Kanoe Miller sobe ao palco, a conversa para. Poderia ser um cartão postal dos anos 1940, o auge de Waikiki. Nas noites de folga de Miller, Debbie Nakanelua ocupa o palco com seu estilo próprio de magia hula.

20h - Pratos crus
No ano passado, Masaharu Morimoto, o astro do programa ‘Iron Chef America’, abriu seu primeiro restaurante no Havaí, o Morimoto Waikiki. Compartilhando a piscina e lounge com o hotel Waikiki Edition, o restaurante elegante, conceitual, oferece vistas do porto cheio de iates, jantar em recinto fechado e ao ar livre, uma fogueira, sushi bar e bar. Ao ar livre, as lanternas iluminam as mesas de piquenique ao lado da piscina, onde os clientes desfrutam de coquetéis elaborados e tapas. Esculturas de corais e painéis de algas verdes envolvidas em acrílico compõem um interior ousado de autoria do designer Thomas Shoos. Pratos crus, como sashimi, toro tartare e o popular carpaccio de cordeiro e wagyu, são clássicos de Morimoto (de US$ 13 a US$ 30), mas os pratos com macarrão noodle (US$ 10 a US$ 18), ocasionalmente salgados e cozidos demais, são menos bem-sucedidos. Os filés de wagyu possuem fãs reverenciais (US$ 50 a US$ 85) e o leve cheesecake de tofu (US$ 12) é um dos favoritos.
O Halekulani's House Without a Key é um ímã ao pôr-do-sol., em Honolulu
Domingo 
10h - O ponto de virada
A trilha de Makapuu Point, no extremo leste da ilha, é ponto alto de um percurso cheio de momentos especiais. Pegue o protetor solar e um chapéu ao seguir para o sul, pela rodovia Kalanianaole, passando pela Baía de Hanauma e por Sandy Beach. A Cratera Koko Head, à esquerda, criou penhascos cheios de estrias, que quase se chocam com a costa de lava, e você estará dirigindo entre as duas. Passando Sandy Beach, estacione no Parque Estadual Ka Iwi e siga a trilha para Makapuu Point, uma subida de três quilômetros até 500 metros de altitude. O Farol Makapuu de 1909 completa o pacote com vistas da costa leste e das pequenas ilhas além da costa.

12h30 - Os hambúrgueres do Buzz
Continue dirigindo ao longo da costa a barlavento, onde tartarugas marinhas se alimentam entre os pescadores e mergulhadores. A aproximadamente 20 minutos de Makapuu, você chegará a Kailua Beach, margeada por árvores e pontilhada por remadores e praticantes de windsurfe. O bar local, o Buzz’s Original Steakhouse (413 Kawailoa Road; 808-261-4661; buzzssteakhouse.com), fica do outro lado da rua, com uma varanda encantadora e com uma árvore crescendo no centro do salão de jantar. Apesar de ser basicamente uma lanchonete de hambúrguer, há alguns destaques, incluindo os hambúrgueres de peixe fresco grelhados (US$ 11,95). Bloody Marys e cerveja fluem livremente do bar de acácia e bambu.

Praia Halona Beach, cenário do famoso beijo na cena do filme 'A um Passo da Eternidade', em Honolulu

O básico Com pouco tempo de vida e cheio de estilo, o Waikiki Edition (1775 Ala Moana Boulevard; 808-943-5800; editionhotels.com) tem 353 quartos em 17 andares. As diárias variam de US$ 379 a US$ 995. No extremo de Diamond Head de Waikiki, o New Otani Kaimana Beach Hotel (2863 Kalakaua Avenue; 808-923-1555; kaimana.com) tem um aspecto mais elegante, com seus interiores reformados. Diárias a partir de US$ 150.

O Outrigger Reef on the Beach (2169 Kalia Road; 808-926-1959; outriggerreef-onthebeach.com) fica em Waikiki Beach, com diárias online para o verão entre US$ 179 e US$ 369. Sempre há promoções e especiais, de modo que não deixe de perguntar. Música havaiana noturna no Kani Ka Pila Grille é um prazer para qualquer amante de música.

Lugar apaixonante, não é mesmo?
Aposto que muita gente tem vontade de conhecer o Havaí, não só pelas encantadoras paisagens, mas pela cultura diferente que o local possui.
Já que não vou até Honolulu, Honolulu vem até mim!
Uma ótima segunda-feira a todos(as) vocês!